Conheça a Fundação Mudes

A Fundação Movimento Universitário de Desenvolvimento Econômico e Social – MUDES, pessoa jurídica de direito privado, é uma instituição sem fins lucrativos e de Utilidade Pública, detentora do Certificado de Entidade Beneficente de Assistência Social, foi criada em 12 de setembro de 1966, pelas pessoas jurídicas cujos representantes assinaram a escritura pública de instituição e dotação, constituindo o CONSELHO NACIONAL DA ENTIDADE.

Quem somos, onde nos encontrar e história

A Fundação MUDES, tem sua sede na Rua México n° 119, sala 1202 à 1208, Centro da cidade do Rio Janeiro, sendo seus Órgãos de Administração formados por Conselho Curador, Presidente e Conselho Fiscal.

A Fundação, ao longo dos seus  mais de 50 anos de existência, vem atuando principalmente na promoção e integração dos jovens de baixa renda no mundo do trabalho por meio de programas de estágios remunerados, programas de aprendizagem e de trainee, além da realização de atividades e projetos sociais para adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social.

Conselho Curador

Presidente

Gabriel de Andrade

Vice-presidente

CV de Marcello Silva Barreto

Marcello Silva Barreto é Doutorando em Administração e Contabilidade pela FUCAPE Business School. Mestre em Administração de Empresas com ênfase em Gestão Empresarial pela Fundação Getulio Vargas - FGV. Pós-graduado em Contabilidade - International Financial Reporting Standards – IFRS pela Universidade de São Paulo - USP. Pós-graduado em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria pela Fundação Getulio Vargas - FGV. Contador pela Faculdade Moraes Junior. Possui 22 anos de experiência profissional nas áreas de controladoria, contabilidade e financeira, tendo atuado como executivo em diversas instituições brasileiras e estrangeiras. Atualmente é consultor de diversas instituições no Brasil. É professor da Fundação Getulio Vargas – FGV de cursos de pós-graduação nas áreas de controladoria, custos, contabilidade e auditoria.

Titular

Armando César Burlamaqui

Titular

Sergio Chermont de Britto

Titular

Eduardo José Daros

Titular

Ary Cesar Sucena Filho

Titular

Renata Ribeiro Lopes

Titular

 Elias Antunes

Titular

Maurício Gama

Suplente

CV de Andreia Krajcer

Andreia Cabral Krajcer, Economista com MBA em Finanças e Pós Graduação em Marketing. Empreendedora há 22 anos. Com experiência em Consultoria Empresarial e como Planejadora Financeira Pessoal na Realize Finanças Pessoais, transformando vidas através da educação financeira.

Suplente

Jaqueline Froes Hannequin

Suplente

Sérgio A. T. Barbosa de Barcelos

Suplente

Carlos Alberto Cacau de Brito

Suplente

Eduardo Abrunhosa

Suplente

Raul Teixeira

Suplente

Fernando Alcantara Franco.

Conselho Fiscal

Titular

Adalberto Ribeiro da Silva Neto

Titular

Joubert Modesto da Silva Junior

Titular

Sérgio Ricardo da Silveira Barros

Suplente

CV de Andréa Alves Silveira Monteiro

Mestre em ciências contábeis pela Faculdade de Administração e Finanças da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (FAF/Uerj); especialista em educação a distância; bacharel em ciências contábeis pela Faculdade Moraes Júnior; licenciada em matemática pelo Centro Universitário Celso Lisboa, membro da Sociedade Brasileira de Coaching e membro do IBGC – Instituto Brasileiro de Governança Corporativa. Autora de várias apostilas nos temas de Contabilidade Avançada, Grupos Empresariais, Normas Internacionais para Ativos Relevantes e Gestão de Capital de Giro. É autora de artigos técnicos publicados e premiados e do livro Contabilidade para investimentos – FGV Online e co-autora do livro Contabilidade dos Ativos Relevantes, Editora FGV. É citada no site oficial do Modelo Dinâmico de Capital de Giro – Michel Fleuriet: modelo-fleuriet.com e 71 citações segundo o google scholar. Sua experiência profissional desde 1985 inclui os cargos de auditor independente, gerente contábil, diretora financeira e consultora independente. Coordenou equipes de auditoria independente para empresas como Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, Banco do Estado do Rio de Janeiro, Banco da Bahia e Banco Real. Foi diretora superintendente (CFO) do Grupo Signorelli, membro fundadora da Faculdade Internacional Signorelli, instrutora do CRC-RJ, professora da Universidade Candido Mendes, coordenadora do Curso de Ciências Contábeis da Faculdade CCAA e presidente do Comitê de Auditoria Estatutário (Coaud) da Casa da Moeda do Brasil; Membro Suplente do Conselheiro Fiscal da Fundação Mudes e professora convidada do Programa de MBA, Pós-Graduação e Pós-MBA da Fundação Getúlio Vargas (FGV) desde 2002. Atualmente, é dedicada como professora RSC III do Curso de Graduação em Administração do Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet-RJ) para as disciplinas de Contabilidade e Administração Financeira e Conselheira Fiscal da ENACTUS – RJ.

Suplente

Henrique de Bethencourt Costa Carvalho

Suplente

Carlos de Paula

Direção Mudes

Presidente

Cleto de Assis

Diretor Administrativo

CV de Marcos Oliveira

Marcos Oliveira, atual diretor financeiro e administrativo da fundação MUDES, é pós-graduado, com MBA Executivo em Gestão de Negócios pelo Ibmec, graduado em Engenharia Eletrônica pela Faculdades Reunidas Professor Nuno Lisboa, com curso de extensão em Análise e projeto estruturado de sistemas, além de outros cursos nas áreas de TI, governança e gestão de pessoas e projetos. Atua há 15 anos na fundação MUDES como gerente da área tecnológica e como diretor desde Maio de 2021. Passou também por empresas conceituadas como BDA Engenharia de Sistemas, Ibmec Educacional, gravadora Som Livre e Nova América Indústria Têxtil.

Diretor Técnico

Paulo William Muller Junior

Diretor de Ações Estratégicas

CV de Luiz Longuini Neto

Luiz Longuini Neto. Diretor de Ações Estratégicas da Mudes. Bacharel em Teologia. Licenciado em Filosofia. Mestre e Doutor em Ciências da Religião. É professor Universitário e Escritor. Assessora Movimentos Sociais e Populares há 30 anos.

Identidade

Logo Fundação Mudes

Propósitos

Os propósitos da Fundação Mudes se baseiam em seu Estatuto, que fixa os objetivos da entidade, no artigo 4º. Fundamentalmente, ela foi criada para estimular, intensificar, normatizar, coordenar e aperfeiçoar serviços voluntários da juventude estudantil em prol do desenvolvimento econômico e social do País, a partir de sete principais seguintes. 

I – Promover os valores da cidadania junto à população jovem do Brasil, integrada a princípios de solidariedade, como um dos valores fundamentais que devem estar presentes na realidade social brasileira e também subjacentes às relações com outras nações. A Mudes defende que não basta o acesso ao conhecimento ou a inclusão no mercado de trabalho, mas tais ações devem estar plenamente relacionadas à formação de cidadãos aptos, em seu trabalho, e eticamente responsáveis, em todas as suas relações sociais.

II – Integrar a juventude no processo de desenvolvimento econômico e social do País, promovendo a formação de um voluntariado estudantil para ação social e econômica, no sentido de melhoria do padrão de vida, com particular ênfase para ações educativas de caráter informal, alfabetização, educação e cultura, elevação da produtividade agrícola e melhoria das condições de habitação. Mais um positivo corolário da formação de cidadania, que se estende, de maneira ampla, à proteção do meio ambiente.

III – Proporcionar a estudantes uma visão global dos problemas brasileiros, inclusive suas peculiaridades regionais, de modo a permitir sua participação no desenvolvimento de comunidades. Se não conhecermos nossa história, não entenderemos nosso presente. E uma profunda visão da realidade permite aos cidadãos as transformações necessárias alo encontro de melhores futuros.

IV – Dar aos estudantes a oportunidades de treinamento para a melhoria do seu instrumental técnico-profissional, com a aplicação prática do conhecimento aprendido nas escolas. O desenvolvimento de programas de Estágio profissional ofertados pela Mudes se baseia na união do conhecimento escolar com a prática de trabalho do futuro profissional. Agregado a esse padrão de ação, a Fundação também oferece oportunidades para os trainees, estudantes recém-formados que, mediante programas especiais, são recebidos pelas empresas com boas perspectivas de continuidade, após o período de estágio

V – Cooperar com entidades já existentes, com iguais propósitos, coordenando programas nacionais. A Fundação Mudes, principalmente por meio de seu programa Armazém Social do Saber (PASS) estabelece fortes vínculos com outras organizações sociais. Sua história de mais de meio século comprova a participação em vários programas nacionais e internacionais, como foi o caso das ações do Projeto Rondon, em 1967, criado nas primeiras incursões sociais da Mudes no interior brasileiro,

VI– Cooperar com entidades governamentais e privadas existentes no exterior, visando ao intercâmbio de informações e experiências. A Fundação Mudes sempre busca a integração com entidades congêneres internacionais e já realizou diversos seminários internacionais que tiveram, como pauta, problemas comuns da juventude em quase todo o mundo, notadamente nas comunidades latinas da América do Sul.

VII – promover a assistência ao adolescente e à educação profissional. Tal objetivo carrega o propósito de trabalho pela inclusão dos jovens no mercado do trabalho, sem esquecer das carências ressaltadas pela necessidade de sobrevivência. Basicamente a Mudes trabalha, como agente de integração, nos programas legais de Estágio Profissional e Jovem Aprendiz, que atingem também os PCDs (Pessoas Com Deficiência). Mas também oferta oportunidades em outros modelos de atuação, com o propósito de ampliar a sua atenção social.

Valores

  •  Transparência
  •  Responsabilidade social
  • Comprometimento
  • Ética
  • Relacionamento positivo

Selos

Linha do Tempo

1966 História da Fundação Mudes
1969 História da Fundação Mudes
1970 História da Fundação Mudes
1979 História da Fundação Mudes
1983 História da Fundação Mudes
1984 História da Fundação Mudes
1985 História da Fundação Mudes
1986 História da Fundação Mudes
1988 História da Fundação Mudes
1990 História da Fundação Mudes
1992 História da Fundação Mudes
1994 História da Fundação Mudes
1996 História da Fundação Mudes
1997 História da Fundação Mudes
1998 História da Fundação Mudes
2001 História da Fundação Mudes
2003 História da Fundação Mudes
2005 História da Fundação Mudes
2006 História da Fundação Mudes
2008 História da Fundação Mudes
2011 História da Fundação Mudes
2013 História da Fundação Mudes
2014 História da Fundação Mudes
2015 História da Fundação Mudes
2016 História da Fundação Mudes
2018 História da Fundação Mudes
2020 História da Fundação Mudes
2021 História da Fundação Mudes
Próximos anos História da Fundação Mudes