Quem somos

Outubro Rosa – A importância do autocuidado feminino

Canal Mudes

Outubro é marcado por inúmeras ações que dão visibilidade aos cuidados preventivos da saúde da mulher. Hoje, vamos apresentar informações sobre o autocuidado feminino. 

 

A rotina da mulher é, normalmente, repleta de afazeres: trabalho, filhos, estudo, atividades domésticas, relacionamentos etc. Muitos fatores fazem com que ela não considere o autocuidado como prioridade. Por consequência, acaba se desconectando dela mesma. 

 

O autocuidado é primordial para a nossa saúde física, mental e emocional, é uma demonstração de amor próprio. Mas como estabelecer um planejamento de cuidados pessoais e colocá-lo, realmente, em prática? 

 

Clique aqui para saber mais sobre o outubro rosa!

 

O ideal é começar a rotina de autocuidado no início do dia. O importante é criar um compromisso com você mesma. Autocuidado não é para quando sobrar tempo, deve fazer parte do seu dia a dia, visando à saúde, felicidade e ao fortalecimento da autoestima. 

 

Para praticar o autocuidado, é muito importante que a mulher conheça o seu próprio corpo, seu ciclo, suas emoções, suas possibilidades e seus limites. A seguir, apresentaremos dicas valiosas de cuidados para o seu dia a dia:  

 

  • Ame-se;  
  • Cuide-se;  
  • Valorize-se;  
  • Tenha tempo para você;  
  • Realize cuidados estéticos;  
  • Exponha-se à luz natural;  
  • Cuide da sua imunidade;  
  • Identifique o que te faz bem e seja feliz;  
  • Conheça os seus direitos, pois é uma forma eficiente de autoproteção (em breve, a Fundação Mudes lhe ajudará com essas informações). 

 

 

E não se esqueça de fazer os seguintes exames:  

 

  • Exame ginecológico – a ginecologista vai examiná-la e solicitar exames complementares, sempre que necessário;  
  • Mamografia e ecografia de mamas – o primeiro é para identificar um possível câncer ainda no estágio inicial; o segundo reproduz imagens sem o uso de radiação, podendo complementar a mamografia, principalmente, em mulheres com mamas mais densas;  
  • Exame de Papanicolau – coletado no consultório pela ginecologista. São avaliadas as células do colo do útero. O exame consegue mensurar o padrão hormonal da paciente, diagnosticar inflamações, doenças e infecções sexualmente transmissíveis;   
  • Ecografia pélvicapermite a visualização detalhada dos órgãos pélvicos. Pode ser realizada via abdominal ou transvaginal, de acordo com a indicação médica;  
  • Hemograma e outros exames de rotina – inclua exames, como os hormonais, o perfil lipídico e a glicemia, dentre outros que o médico julgar necessário;  
  • Exames dermatológicos – faça uma avaliação de pintas e manchas, especialmente, pessoas com pele mais clara. 

Compartilhe esse artigo:

WhatsApp da Mudes
Enviar via WhatsApp

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade. Conheça nosso Portal da Privacidade e veja a nossa nova Política.