Quem somos

Licença “PETernidade” – empresas oferecem folga para funcionários que adotam pet

Canal Mudes

O benefício passou a ser concedido por algumas empresas a colaboradores que adotam animal de estimação (cães, gatos, coelhos, tartarugas, hamsters e calopsitas, por exemplo). 

  

Companhias como Petz, Vivo, Royal Canin, Petlove, Petland, Great Place to Work já aderiram a esta nova tendência. O objetivo da licença de dois dias é facilitar ao funcionário adotante a possibilidade de providenciar o que for necessário ao bem-estar do pet neste período inicial de convivência e adaptação, como consulta, vacinas, exames; bem como promover a integração do novo membro da família ao lar. Também é uma forma de a empresa fortalecer os laços com o colaborador, gerando satisfação. 

  

No entanto, para usufruir do benefício há regras. Para solicitá-lo, o colaborador precisa avisar ao gestor com antecedência (geralmente, cinco dias), além de estar ciente de que a licença só é concedida apenas uma vez ao ano. Algumas empresas solicitam um certificado da instituição que promoveu a adoção. 

  

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostraram que, em 2019, mais de 14 milhões de domicílios tinham gato; enquanto os cachorros faziam parte de cerca de 34 milhões de lares. 

 

 

Gostou do conteúdo? Clique aqui e tenha acesso a outras matérias da Fundação Mudes. 

Compartilhe esse artigo:

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade. Conheça nosso Portal da Privacidade e veja a nossa nova Política.