logo da fundação mudes

Quem somos

Estudante

Dicas para turbinar seu currículo de verdade

Estudantes

Montar um currículo quando se tem pouca experiência é um desafio. Muitos acabam fazendo um documento pobre ou recorrem a experiências e informações desnecessárias somente para ter o que preencher. E, pasmem, alguns inventam até mentiras às vezes.

De acordo com uma pesquisa realizada pela DNA Outplacement, três em cada quatro brasileiros já mentiram em seus currículos. Lembrem-se: mentira e currículo não combinam. Se for descoberto, você vai sofrer consequências, como ser eliminado do processo seletivo, ser demitido (caso tenha sido contratado para a vaga) ou, ainda, manchar seu nome na “praça”.

Para ajudá-lo na difícil missão de elaborar um documento atrativo, que chame a atenção dos recrutadores e aumente suas chances ser chamado para uma entrevista, o time de especialistas da Fundação Mudes preparou uma série de dicas para você. Confira na lista a seguir.

 

1 – MANTENHA-SE ATUALIZADO E PREPARADO COM CURSOS LIVRES

Uma maneira de turbinar o currículo é investir em cursos livres. Já que falta experiência profissional, as empresas devem saber o que você pode oferecer para o cargo, caso seja contratado, então um curso relevante na área pode ser um diferencial.

Hoje em dia, a internet disponibiliza muitos cursos gratuitos. Vários deles emitem um certificado que comprova o aprendizado e são oferecidos por empresas reconhecidas pelas organizações. Treinamentos em ferramentas específicas são ótimas opções para garantir conhecimento em pouco tempo – um curso avançado de Excel, por exemplo. Vale apostar também em cursos pagos, como os de idiomas, intercâmbio, cursos técnicos, entre outros pertinentes para o seu currículo.

 

2 – UTILIZE OUTRAS EXPERIÊNCIAS PROFISSIONAIS

Recrutadores valorizam candidatos que demonstram aproveitar as oportunidades para se desenvolverem pessoal e profissionalmente. Elas contam muitos pontos, porque indicam que o futuro funcionário gosta de aprender e de participar de diferentes projetos. Trabalhos voluntários, trabalhos informais, empregos temporários, atuação em empresa de família e empresa júnior da faculdade são itens que podem ser colocados como experiência.

 

3 – SE FAZ FACULDADE, DÊ ÊNFASE PARA SUA FORMAÇÃO ACADÊMICA

Uma forma eficiente de desviar o foco da inexperiência profissional e, ao mesmo tempo, acrescentar informações valiosas no currículo é chamar a atenção para as vivências no ambiente acadêmico. Participar ativamente da faculdade é uma das maneiras mais acessíveis de conseguir uma vaga sem experiência de trabalho anterior: publicação de artigos, iniciação científica, monitoria, organização de eventos; opções não faltam. Caso tenha participado de seminários, oficinas e/ou palestras que sejam relevantes para o mercado de trabalho, não hesite em colocá-los em seu currículo.

Por outro lado, alguns dados são desnecessários, pois não acrescentam dados relevantes sobre o seu perfil profissional, como o coeficiente de rendimento do curso na faculdade – a não ser em casos específicos, nos quais a informação seja pedida, como em vagas acadêmicas.

 

4 – DEIXE CLARO SEU OBJETIVO PROFISSIONAL

O objetivo profissional é um item importante no currículo, seja para quem está há anos no mercado, seja para quem está começando. É preciso destacar qual a área em que você pretende trabalhar. Ideal é que você tenha clareza e direcione o objetivo à vaga. Defina um único setor de atuação, por exemplo, Marketing, Financeiro ou Logística, mas nunca todos eles. Se busca atuar em mais de um, faça currículos diferentes para cada.

Evite escrever um texto vago, como: “Busco conquistar a minha independência pessoal em um ambiente de trabalho que traga oportunidades de crescimento”, pois não diz nada ao recrutador sobre a carreira que você almeja. Supondo que esteja tentando uma vaga em vendas, você pode escrever algo mais específico e coerente com a sua área, como: “Promotor de vendas com dois anos de experiência em redes de supermercados. Busco atuar no crescimento das vendas, utilizando formas atrativas na exposição dos produtos.”

 

5 – FAÇA UM RESUMO DAS QUALIFICAÇÕES

Apesar de não ser obrigatório, o campo “resumo das qualificações” do currículo é importante para quem não possui experiência, por conter habilidades que o candidato reconhece ter e que vão ajudar no desempenho das funções para as quais ele se candidata.

Faça um resumo usando frases de impacto, evitando descrições longas e extremamente técnicas. Não se esqueça de ter foco e fazer uma ponte entre o objetivo apresentado e o resumo das suas qualificações.

De maneira condensada, coloque as principais atividades que realizou (lembra dos itens 1, 2 e 3 deste texto?), além dos resultados que foram gerados, pois são esses resultados que vão indicar o que você consegue alcançar com determinada atividade. Conhecimentos e aptidões ajudam a compor a lista de habilidades que podem ser apresentadas.

Cuidado com autoelogios. Evite escrever características genéricas ou pessoais, como proativo, organizado, analítico, líder etc. Essas qualidades serão verificadas na entrevista, de acordo com o que os recrutadores estão buscando para a função. O ideal aqui é destacar os conhecimentos técnicos e habilidades adquiridas em cursos e outras vivências profissionais.

 

6 – SIMPLICIDADE É O MELHOR CAMINHO

Às vezes, na tentativa de chamar a atenção do avaliador, muitos candidatos acabam exagerando na quantidade de informações. Cuidado para não “encher linguiça”, tenha em mente que quantidade não é qualidade. Um bom currículo de verdade é aquele que vai direto ao ponto e sabe destacar as habilidades, qualificações e objetivos condizentes com a vaga. Documentos muito longos confundem os recrutadores e podem acabar parando na lata do lixo.

Além disso, não tente compensar a falta de experiência com recursos estéticos. Com exceção dos profissionais que atuam em áreas criativas, um currículo deve sempre ser visualmente discreto. Então aposte em sobriedade: folha de papel branca, formatação simples, cores neutras e fontes tradicionais. A linguagem deve ser sempre formal.

 

7 – ÚLTIMA E MAIS IMPORTANTE DICA: NÃO MINTA

Não minta sobre experiência. Mentiras no currículo são um dos principais fatores de eliminação no processo seletivo e, muitas vezes, o candidato nem acaba sabendo o motivo. Recrutadores estão treinados para detectar dados falsos e verificam cada informação preenchida.

No caso de idiomas, a proficiência do candidato será avaliada na entrevista. Então não diga que é fluente em uma língua se você não é, prefira investir em aprendê-la. Não queira passar pelo constrangimento de chegar na hora da entrevista sem saber como responder nada em outro idioma.

 

Anotou todas as dicas? Agora é só lembrar que você pode se cadastrar na Fundação Mudes e o site irá gerar um currículo prontinho, que estará disponível, inclusive, para ser baixado em PDF e ser usado em outros processos seletivos. É só acessar o canal do estudante e depois apertar o botão “Cadastre-se”. 

Caso tenha dificuldades ou dúvidas na hora de realizar o cadastro, nós podemos auxiliá-lo. Você pode entrar em contato com a gente por e-mail (gedipcal@mudes.org.br), telefone (21-3094-1181) ou pelo fale conosco do site, Facebook ou Instagram.

Tenha acesso as melhores oportunidades profissionais!

Compartilhe esse artigo:

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade. Conheça nosso Portal da Privacidade e veja a nossa nova Política.